Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2013

Na Chuva...

Me sinto só...
Sozinha dentro de um nó apertado, que dói.
Acelero a vida, antecipo a morte,
E me pego tentando entender minha sorte.
Me sinto pedaço pequeno
Diante da distância que me separa de mim
Eu, tão minha, tão crua, tão dor...
Procuro o silêncio
Estou no silêncio
Já sou silêncio nesse dia de chuva fina que cai entre as casas fechadas,as pessoas tristes e seus problemas intermináveis.
Gritam a guerra, fazem a guerra entre si mesmas...
Não se dando conta, de que eu já estou em guerra comigo mesma há tempos, há dias, há segundos...
Me calo olhando a chuva fina, me vejo olhando o céu cinzento e deixo que hoje, somente hoje, essa chuva lave minha alma inteira.
Na minha metade que é ilusão,existe um chamado claro do tentar novamente, do sentir outra vez...
Na minha metade cansaço, existe um nó apertado, que sangra, machuca e me grita algo que não tenho direito de sentir.
Então, por medo, comodismo ou inquietação
Hoje, não me permito ser dois.
Continuo só,sou só...
Alma ímpar dentro de tantas metáforas…

Tudo Está Bem...

Minha alma nua
Que se confunde com a lua
No olhar que se pousa na rua
Da cidade que dorme cansada
Das pessoas que dormem exaustas
Vestindo pijamas de sonhar
Ah...estrelas pingadas
Se unindo as luzes opacas
Que se fundem dentro de mim
Nada de anormal
Nada de mal
Tudo é sempre igual
A paisagem é comum
Viver é quase o ideal
Mas eu...
Eu não estou nada bem
Nada caminha bem,eu não estou bem.
Preciso voltar a ser solidão
Para me reencontrar nas letras e palavras
Deixar para trás tudo que já é morto
E aceitar de fato, quem sou.
Preciso me refazer em meus silêncios
E me despir das encenações
Viajar na noite e seus barulhos
E viver cada dia,como se fôsse o último...
Agora eu estou bem...
Tudo está bem...
Retiro a máscara da realidade
Olho-me no espelho que a vida me traz
E me redescubro...
Sonhando de novo, para mais uma vez, voltar a viver!!!

Essa Noite...

E chegou a hora de ter você...
Mais uma vez, invade meus pensamentos, toma minha solidão e rouba para si meus mais profundos desejos.
A rua movimentada é o cenário dessa nossa noite de amor.
Me beija com doçura,envolve o meu corpo com desespero.
No acostamento da avenida,no carro parado,nas luzes que cegam e nos sons que não cessam.
Pega minha mão,me encosta com força no carro, me beija com volúpia.
Tuas mãos avançam rápido,remexem as roupas, incendiam o corpo.
Apertam, beliscam,arrancam.
Tua boca continua na minha...
Morde,lambe,suga...
Procuro o som das buzinas, as luzes que piscam, os gritos e assovios.
Fecho os meus olhos e danço a tua música.
Minha blusa cai,meu sutiã é arrancado num único golpe,meus seios são refresco doce na tua boca esfomeada.
Levanta minha saia,afasta minha calcinha,me vira de costas,se encaixa em mim.
Sem palavras, sem sussurros, sem vergonha.
Uma buzinada,um grito...as estocadas.
Arranho teu carro,você me puxa os cabelos.
Arqueio sob o teu corpo,você me morde a nuca.
Suplico…

Seja Educado!!!

Que me perdoem os estressadinhos de plantão, mas para mim, ser nervoso é apenas falta de educação.
Se você não sabe tratar bem sua esposa, respeitá-la, ser gentil, ser doce(ao menos uma vez por mês), você não é educado.
Se você não sabe ser pai, ser companheiro de sua filha e estar com ela, quando ela inocentemente vier lhe contar coisas simples que lhe fizeram bem, você não é educado.
Se você trata melhor um jogador de futebol(parceiro do time) ou aquele conhecido, que você vê somente na reunião da associação de bairro, melhor do que trata sua familia, você não é educado.
Se você pega seu carro e sai pelas ruas da cidade, com sua familia dentro e mesmo assim,não sabe ser gentil, ser coerente, ser respeitador, você não é educado.
Se você só sabe falar alto, esbravejar, xingar, reclamar...lamento te informar, você não é educado.
Se você tem a certeza nítida de que só você é o bom, o que sabe tudo, o que faz tudo e nunca, mas nunca mesmo, reconhece quando errou, docinho, você não é educado.
Se…

Cacos...

Ainda continuo parada no mesmo lugar da esquina que me deixastes.
Meus pedaços espalhados pelo chão, me lembram a todo instante, da tua despedida.
Meu sorriso se desfez, minhas lágrimas secaram.
Ninguém se importa mais em pisar nos caquinhos que restaram.
Passam despercebidos a mulher que voltou a ser menina.
O caminho à frente já não me é convidativo e meus passos, não saem do lugar.
Meu olhar vazio só consegue te ver indo embora,ombros caídos, certeza sentida.
E meus cacos espalhados pelo chão.
Minhas palavras já não são mais lidas, ficaram perdidas num tempo em que você me refazia a cada nova manhã.
Meus sentimentos ficaram abandonados num tempo em que você me construía a cada nova noite de chuva fina.
Volta...cola os meus cacos, junta meus pedaços, mata minha saudade dolorida.
Me refaz no teu abraço, me devolve ao teu corpo,não me deixe aqui.
Cole um a um, os pedacinhos que você quebrou e me entrega de novo, a vontade de seguir.
Volta e quem sabe dessa vez, só dessa vez,eu e você voltemos a se…

Você vai sentir minha falta...

Lamento informar docinho....você vai sentir minha falta!
Vai sentir minha falta quando soar o primeiro trovão.
Quando no silêncio dos dias tediosos, minha companhia será inexistente.
Você vai sentir minha falta...
No acorde solitário da guitarra.
Nas tardes onde o meu sorriso vai te trazer recordações.
Em tua lembrança, onde minha presença será constante.
Docinho...
Você está sentindo minha falta.
Vai reviver as palavras, sorrir murcho quando se lembrar das piadas sem graça ou das frases de impacto.
Vai me procurar nos livros...e lamento novamente, não vai me encontrar.
Vai sentir falta da bagunça que fazíamos, dos beijos quentes que trocávamos em silêncio e do desejo que inflamava nossos corpos.
Você vai sentir minha falta...
E eu vou sorrir muito com isso.
Você vai sentir falta do quanto eu te provocava, do morder do lábio, do sussurrar das palavras.
Oh, meu menino...
Você vai se arrepender muito por ter sido covarde e vai tentar me tirar de dentro de teus pensamentos.
Você não vai conseguir(risos)
E…

Só mais uma vez...

Me beija só mais uma vez
me entrega o amargo do adeus
devolve um pouco de mim
me beija só mais uma vez...

Ouve comigo a última canção
separa o teu corpo do meu
decifra as batidas dentro de mim
entende que sem você eu não sou eu...

Cala minhas incertezas
emudece a minha voz com tua boca
me salva do abismo da despedida
seja parte infinita de mim...

Me beija só mais uma vez
deixa que meu corpo te segure em mim
envolve tua lingua na minha
não se desprenda de mim.

Me beija só mais uma vez....
ao menos até amanhã
depois você decide se quer ir
hoje, só me beije mais uma vez...