Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2013

Silêncio...

Quero todas as palavras que eu puder ler e ouvir.
Nesses teus olhos negros, feito a noite sem lua.
Não espero mais pelo silêncio.
O teu silêncio.

Quero todas as letras traçadas, desenhadas, tingidas.
Saindo da tua boca que não pronuncia som algum.
Nesse teu corpo que me leva a perdição...
Não espero mais pela solidão.

Quero a escrita, fervorosa, quente,úmida.
Nessa língua que invade minha boca, saliva.
Doce encontrar do amor no atrito dos dentes.
Não espero mais o calar solitário.

Quero o barulho da junção, da carne em chamas.
Do teu corpo grudado no meu, dentro de mim.
Do fechar dos olhos, a entrega sem fim.
Não espero mais o vazio da alma.

Ontem, naquela noite de lua cheia...quis o pegar das mãos.
O calor que emanava dos teus dedos gelados.
Do teu corpo tatuado de "ossinhos".
Do teu sofrer, do teu ser.

Hoje, nessa tarde chuvosa..quero os gritos.
Quero o barulho incessante dos nossos sorrisos.
Das gargalhadas estridentes, do teu olhar no meu.
Quero te aninhar no meu colo, esquentar teu adormecer…

Tudo Por Mim...E Por Você!

Eu gosto de ser assim...
Complicada, despudorada.
Intensa.Febril..as vezes.
Gosto de te amar da maneira que amo.
Exagerada. Extremista.
Sem limites ou pudores.
Apaixonada, alucinada...
Amante completa na hora da entrega.
É...realmente eu gosto de ser assim!


Eu gosto de te deixar assim...
Mimado, curioso, satisfeito.
Gosto realmente quando você tem orgulho de mim.
Tudo que faço,escrevo,sinto...e tento....
É pra te ver feliz ou ao menos, tentar te fazer sorrir.
É por você!
Que me divido em mil pedacinhos...
Cada um com um propósito.
Mas todos em comum acordo...
Sobre te fazer feliz!


Eu gosto de me sentir assim...
Apaixonada,entregue...tua!
Que eu morra de amor, que eu fique nula de tanto de te querer.
Do meu jeito torto, da minha maneira tola.
Que eu nunca passe um dia sem te dizer "eu te amo".
Sem vergonha de chamar teu nome, de gritar aos quatro ventos o quanto estou feliz.
Te fazer sorrir, tem sido minha meta diária!
Só assim...dessa maneira de te amar...
Eu consigo sorrir também!

Eu gosto de estar as…

Do Fim ao Começo....

Antes que jorre dentro de mim...
Quero sentir os meus dedos em êxtase.
Molhados, quentes, pingando...
Vertendo da minha carne
O mel que chega até minha boca sedenta.
Me provo.
Quero a inocência dos meus dedos em mim.
Caminho poroso, meloso,encharcado.
Prazer solitário, saboroso.

Antes que me jogue no chão...
Feito bicho no cio...
Quero que percorra tua língua em mim.
Quente, úmida...esfomeada.
Deguste cada pedaço meu, sorva, lamba...
Rasgue meu corpo com tua boca, tuas unhas.
Animal marcado por teu desejo insano.
Devorando minha pele...

Antes que você sinta meu néctar...
Nos teus lábios, nos teus dedos.
Em você...
Por você.
Sugue,mordisque, aperte,marque.
Faça doer, faça gemer,ouça...
Gemidos, sussurros...prazer.
Fome.
Que come minha carne...

Antes que você chegue...
Me deixe te chamar baixinho
Soletrar teu nome nos meus lábios molhados
De vontade, de desejo...de te querer.
Meus arrepios, meu chamar...
Seios, pele...
Ansiar que não passa...
Chegue...

Ao Menos Por Hoje...

Vai embora...
Ao menos por essa noite, não quero mais brigar.
Acusações, mentiras tolas...
Palavras que ferem...atrozes, morteiras.
Letras carregadas de sentimentos...
Como sempre foram.
Mas dessa vez, retornam vazias...nulas.
Não há o que explicar.
Nada mais precisa ser dito.
Só relido...para que entre na alma e seja verdade.
O relógio marca certinho o momento exato que te perdi.
Ou que te mandei partir.
Já não sei mais...

Vai embora...
Leva contigo meus sonhos, minha alegria.
Ao menos por essa noite, não preciso deles comigo.
Quero a dor sentida...
Quero a dúvida...e quero reler e reler várias vezes...
Não para sangrar mais do que sangra agora...
Mas para me convencer que tudo foi perdido.
Um dia...
Ontem...
Você me disse que não acreditava nos amores fáceis...
Será mesmo que precisa ser tão complicado?
Pra que roubar assim os sentimentos de alguém?
Amor e dor...
Rima idiota dos "poetas"...
Sentimentos sentidos na carne, nas letras...nas atitudes.

Vai embora...
Leve contigo a alegria dos dias completo…

Cura...

Meus olhos te buscam o tempo todo.
Fecho os olhos...para imaginar tua voz.
Posso ver por alguns minutos, teu sorriso de menino.
Teu olhar perdido.
Sinto teu cheiro...
Teu perfume de ser, de estar...de homem.
Em meio a tantos odores...o teu me envolve.
Teu nome não me sai da boca.
Chamo por você baixinho...quando comigo,não está.
Grito por você alto...quando comigo ,você está.
Meu corpo treme, te pede, te quer.
Não consigo pensar...raciocinio lento.
Devagar.
Se ouço uma música, ela é tua.
Se vejo um filme, é com você.
Se me perco...é em você que eu me encontro.
Todos os assuntos ficam tolos, se não te trouxerem.
Toda conversa é nula, se não for tua letra que eu veja.
É a tua voz que quero ouvir.
São as tuas mãos inquietas, que quero ficar olhando.
São teus olhos negros, que quero ver.
Meu sono é inquieto quando não te vejo.
Minha paz é completa, quando você está aqui.
Nos meus sonhos mais felizes, você é meu par.
De mãos dadas, de vidas felizes.
Sem dores.
Meu sorriso fica bobo ao falar de você.
Meus olhos tris…

Coração...Sem Razão...

Noite intranquila.
Não consigo dormir...Dói.
Coração e razão em uma briga injusta...
Onde mais uma vez, eu vou perder.
Sensação de que toda a tristeza do mundo está sob meus ombros.
Curvo...
Já me senti assim tantas vezes...objeto, troféu...ganhado, adquirido...
Perdido...
Que fica difícil entender o porque de se estar aqui.
Estar...
Sei que nunca me expresso como deveria ser...
Mas um abraço faria bem, nesse momento.
Até mesmo os falsos, com que me acostumei durante toda uma vida.
Me sentir protegida...segura...
Isso era tudo que queria nesse dia cinzento.
Venha...
Não diga nada, só me abrace?
O dia vem clareando...já são quase 4 da manhã.
O vazio continua em mim...
Ou eu nele(já não sei mais onde me encontro)
Eu decidi desistir.
Nessa tristeza que me domina...
Nessa dor que sangra, que fere...que mata lentamente.
Olho o infinito.
Razão e coração....
Quando todos dormem na noite intranquila...
Dizem nada...
Sou nada.
O coração não me perdoa....
A razão não me entende.

Nesse momento, fecho os olhos...
E só peço par…

Jack...

Oi...
Três meses é tempo demais, sem você...
Com você.
Fazia tempo que não te escrevia meu amor...longo tempo.
Mas isso não significa que não pensei ou estive com você.
Tens acompanhado minhas lutas diárias, minhas brigas injustas...
Minhas derrotas.
Minha saudade.
Nessa madrugada...estava revirando as gavetas.
Lendo os mails, as sms...
Revivendo tudo, ouvindo tuas gargalhadas, teus palavrões.
Era tudo tão nítido...tava tudo tão ali.
Você se despedia o tempo todo, em tudo que me escrevia.
Em cada vez que passávamos horas no telefone.
Me diz hoje...
Por que é tão difícil ficar sem você?
Tinha que ter me deixado ir antes, era obrigação tua!
Você prometeu tantas vezes...que estaria comigo o tempo todo.
Tantas vezes...e eu acreditei, sabia?
Você não poderia ter ido e me deixado aqui, tão perdida em mim mesma.
Eu não consegui...meu amigo...eu não consegui.
Nem teu número de telefone eu consigo arrancar da agenda.
Nem as frases tolas, eu consigo apagar da minha alma.
Ah Pirata...
03 Meses...
Sem você.
Como dói...
H…

Até breve...

Estou te dizendo adeus.
Cansei de esperar por tua presença em minha solidão.
Cansei de ficar olhando o celular tocar...
De imaginar o que estaria fazendo e os motivos de não me levar contigo.
Cansei de esperar um "oi" teu...que fôsse somente pra mim.
Em vão, eu ainda acreditei que seria diferente...
Dessa vez...

Estou te dizendo adeus.
Por várias vezes, fingi não sentir.
Menti a mim mesma, dizendo que não tinha dor.
Esperando um sinal teu que nunca veio.
Meus olhos doeram de ficar olhando a porta vazia...
Por onde você nunca mais voltou.
Nunca mais...

Estou te dizendo adeus.
Exausta de esperar que você se perguntasse como eu estava.
De achar que sempre eu estaria a disposição.
Sem nem perceber, que muitas vezes...
Eu precisava da tua atenção.
Que os pedidos de ajuda,vinham de formas discretas...
Num oi...num bom dia...
Num "como você está?"


Estou te dizendo adeus.
O canto onde fiquei jogada várias vezes, empoeirou.
A última a ser lembrada sempre.
Quando não havia mais opções.
Fui válvula d…

Gozo...

Eu gozo sem você.
Sem frescuras, sem vergonha.
Sem medos...
Intensifico meu prazer.
Me solto de meus pudores.
Queimo no inferno que minha mente me leva.
Ardo nos meus dedos que me completam.
Doce prazer que escorre de mim.

Eu gozo sem você.
Derramo feito cachoeira...
Lambuzo, escorro...
Me provo.
Jorra por minhas pernas...
Néctar adocicado do teu querer.
Do meu prazer...
Meu corpo inteiro...
Tremor silencioso.
Roteiro traçado por meus dedos molhados.
Rota viscosa pelos meus seios, anseios...
Grudentos.

Eu gozo sem você.
Delicadamente preenchida por meus dedos.
Violentamente amada por meu desejar.
Pinga....
Queima...me mordo.

Eu gozo sem você.
Entre o céu e o inferno...
Entre o queimar e o esfriar.
Entre o silêncio...
E teu grito.
Meu clamor.
Meu ofegar.

Eu gozo.
Eu queimo...
                    Por você!!!

Não Espero Muito...

Quanto tempo você precisa?
Me responda, sem pestanejar...
Será que não consegue perceber o que está tão nítido em mim?
Não entende que é por você, que espero a cada nova manhã?
E que você...
Sim eu sei...também, não vive sem mim.

Quanto tempo você precisa?
Pra olhar para mim e assumir que me quer?
Pra entender que sem teu bom dia e boa noite
Meus dias são vazios e incompletos?
Não percebe....que é em você, que repouso meu corpo cansado
E deixo meu coração calado.
Sim eu sei...que você pensa em mim.

Quanto tempo você precisa?
Pra ver que tua cama é tão vazia sem minha presença ao teu lado?
Que o sol já nem esquenta mais quando você não está comigo..
E que as tardes de chuva, são apenas tardes de chuva...
Quando não é nos teus braços, que eu descanso?
Sim eu sei...que você também me procura...em todos os dias.

Quanto tempo você precisa?
Para entender que sem você, eu não sou nada?
Que não preciso buscar outras conversas, outras canções...
Pelo simples detalhe...
De ter encontrado tudo em você?
Moço tolo...
Sim …

Certezas...

Quanta pergunta tola povoa o meu ser nesse momento.
Sinto tanto medo...
De você!
Medo das coisas que não entendo...que me roubam a paz e me jogam em turbilhões.
Ah...menino matreiro...
Você faz isso com tanta facilidade..que confesso, é assustador!
Me perco inteira quando vejo teu sorriso gostoso.
Teu jeito de homem perdido, de menino sensato.
Sinto medo desse sentimento que me toma inteira...no simples chegar teu pela porta aberta.
Essa vontade que tenho de você, que é maior do que eu consigo entender.
Ah...menino dos olhos negros.
Da pele branca...das mãos repletas de flores.
Das palavras ainda incoerentes.
Do sorriso mais lindo que eu já vi na vida.
Quando meu coração bate descompassado ao ler teu nome...
Confesso...
Sinto tanto medo.
Tento manter a linha, tento não deixar meu coração sair pela boca quando você chega.
Tento fingir que sou inteligente..para que não percebas que até minhas letras você toma.
Quando você me olha tão doce, tão lindo, tão ingênuo...
É nesse exato momento, que me sinto amada…

Palavras....

Hoje, um misto de sentimentos povoa o meu coração cansado.
Sei que estou feliz e fechando os olhos, até em paz..mas no meio de uma guerra eminente.
A guerra que travo comigo mesma todos os dias...independente do sorriso no rosto ou das lágrimas escondidas.
Dúbio?
Sim...rs não seria comigo, se fôsse diferente!
Apenas uma certeza:
Eu estou feliz...mesmo estando em guerra.

E quando hoje, você vier ler(sim, eu sei que vai) irá entender que da minha maneira torta(mas sempre a mais bonita) eu fiz pra você. E que se sorrio nessa manhã fria...é por conta dos Palhacitos do café que tomei sozinha!rs

Fugir de Mim...

Ouço o silêncio que grita em meus ouvidos.
Me sufoca a tua ausência,mesmo sentindo a tua presença.
Como queria agora deixar as palavras saírem soltas..sem amarras.
Serrar as grades que me aprisionam em mim mesma..
E dizer aos quatro ventos como de verdade, eu me sinto hoje.
Sou uma estranha a mim mesma...e por tantas vezes..
Fico me olhando na esperança de não sentir mais esperança.
Sou um vulcão de sentimentos não sentidos, não vividos.
Uma ânsia de querer,de ir além...mas sem conseguir sair do lugar.
Um dia, você me disse que eu era capaz de tudo...
De ir além, de estar onde eu desejasse.
Me responde, como eu nunca consegui sair de dentro de mim mesma?
Horizontes perdidos...ou talvez,nunca vistos.
Enquanto olho o vazio a minha frente..
Meus dedos se perdem nas letras que hoje gritam.
Palavras escritas a alguém que sempre as lerá.
Letras dispersas na tela fria, que alguém sempre sentirá...
Exceto eu mesma.
Queria fugir de mim hoje.
Ir pra um lugar onde meu coração deixasse de bater tão descompassado.
On…

Extinta...

Longe...
Assim me sinto nesse estranho momento.
Longe do ontem...distante do amanhã.
Perdida no que fui..e no que quis ser.
Longe de mim.
Sem passado...
Sem futuro...
Sem presente...

Cansada...
Do que nunca fui.
Do que almejei ser.
De ser quem sou.
De não ser quem queriam que eu fôsse.

Vazia...
Um grande buraco dentro de mim.
Uma distância inexistente...
Entre o eu...e o eu.
Sem dia, sem noite.
Oca.

Pessoa...
Um corpo, uma vida, um espaço perdido...
Já não importa como me sinto...ou se sinto.
Ninguém se importa mesmo.
Sem lágrimas, sem sorrisos.
Sem ter...sem ser.

Grito...
Ninguém me ouve.
Apelos que batem e voltam na parede da redoma.
Palavras perdidas no papel em branco.
Um turbilhão de sentimentos.

Se me perdi...se não me encontrei.
Hoje já não importa mais.
Se nunca fui...nem nunca serei.
Vulcão...
Extinto.

Raiva...

Nem os vidros do carro podiam conter as vozes exaltadas.
Ela só queria que ele entendesse.
Ele só queria que ela se calasse.
Nunca haviam chegado a um ponto tão crucial na relação.
Ela estava cansada...
Ele estava exausto.
As palavras feriam ambos...e mesmo assim,não se calavam.
Sem ação, ela decidiu sair do carro.
Nem o sol forte que queimava lá fora, a impediria de fugir dele.
Tirou os sapatos....a meia fina que lhe cobria as pernas...
E saiu.
Pisou na grama quente que cobria o acostamento da grande estrada.
Se encostou no carro...e olhou o horizonte.
Os carros passavam velozes..o barulho ensurdecedor ainda eram melhor que os gritos dele.
Respirou fundo...uma gota de suor desceu por seus cabelos presos.
O som da porta do carro batendo, lhe tirou do estado torpe que se encontrava.
Ela o viu chegar bufando.
Ele parou na sua frente..cobriu o sol que lhe cegava.
A puxou pra perto de si.
Ela notou que a camisa dele estava aberta.
Inspirou fundo...fechou os olhos e sentiu a boca dele na sua.
A raiva dele era…