Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2013

Fim de Ano!!!!

E lá vem chegando um novo ano!
Impossivel não cair no clichê e fazer um balanço do ano que termina em algumas horas.
2013 foi um ano bom, não vou negar isso!
Independente de ter tido momentos de dor, de tristezas, de decepções e angústias, foi um ano que aprendi muito.
Vi inúmeros filmes e sinceramente não conseguiria citar apenas um que me marcou,mas deixo a série Arrow, que estou vendo no momento e que tá me fazendo um bem danado(pros olhos e alma).rsrs
Li muitos livros, tá, eu queria ter lido mais, muito mais! Queria ter me dedicado mais as letras...e cito A Culpa é das Estrelas como a melhor leitura desse ano que termina.
Chorei demais ao terminar ele....e estou ansiosa pelo filme que chega em breve.
Ouvi música demais, ufa!
Conheci o blues mais a fundo e me apaixonei por esse estilo que era tão renegado ou ainda é renegado em muitos lugares.
Me apaixonei por Joe, Gary, Koko, Robert....e tantos outros.
Mas vou confessar,conheci muitas duplas sertanejas também. Culpa da amiga Helena que me f…

Novinho....

Ela sabia exatamente o que queria naquela noite chuvosa.
Tomou seu banho demorado, saboreando devagar cada curva do seu corpo. Deixou que o sabonete deslizasse sobre sua pele em chamas...percorreu, desenhou..ferveu.
Lavou os cabelos demoradamente...e torceu para que eles levassem o cheiro do shampoo com eles.
Mal se secou...espalhou o óleo preferido sobre o corpo molhado...espalhou delicadamente sobre os seios...e os sentiu duros nas pontas dos dedos ávidos...deslizou as mãos lambuzadas sobre o ventre úmido...podia sentir o arrepio lhe cortar a alma...
A respiração entrecortada..e as mãos que acharam a boceta quente..e esfomeada.
Colocou mais uma gota de óleo na ponta do dedo indicador...e o levou ao grelinho duro....apertou forte e sentiu um espasmo percorrer sua nuca, seus pêlos, sua carne.
Tremeu...e sentiu que escorria o doce mel por suas coxas torneadas.
Se segurou...e se vestiu.
O vestido preto lhe desceu como luva pelo corpo salpicado pela vontade...ajeitou os cabelos, sem secá-l…

Utopia...

Houve um tempo em que os sorrisos derrubavam qualquer "cara feia"...
Um tempo, onde as palavras vinham em melodias serenas, doces...e por muitas vezes, angelicais.
Houve um tempo onde uma abraço curava um coração ferido.
Onde um afago nas costas, trazia a velha sensação de aconchego.
Um tempo em que sonhos não tinham preços, não tinham rótulos...não tinham datas estipuladas.
Houve um tempo, onde as pessoas eram de verdade.
Sorriam, choravam, acertavam e erravam.
Uns mais, outros menos...
Mas sempre traziam nos olhos, a esperança do recomeço.
Houve um tempo...
Onde os casais andavam de mãos dadas...e o sabor do sorvete era sempre de quero mais.
Um tempo onde as crianças podiam brincar...e brincar...
Um tempo...
Houve um tempo onde o amor era falado, declamado, sussurrado...e incrivelmente...
Sentido.
Mas não se sabe ao certo, em que momento...em que virar de páginas, tudo isso tenha se perdido.
A doçura, a educação, a inocência...
Em que fração de segundos desse tempo que não cessa, deixamos …