Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2014

Pervertida...

                                                               Cadelinha obediente.


Vem...que hoje só obedeço.
                                                                                Tua!

Insensato Coração...

Você chegou e tomou conta de tudo, em mim.
Não se importou se já havia alguém, se existia outra pessoa...
Simplesmente chegou..e me tomou.
Se instalou na minha vida, no meu coração...na minha alma.
Você me pede...eu cedo sem pestanejar.
Você me beija...e eu me perco na umidade doce da sua saliva.
Nos seus lábios, na sua língua...no céu gostoso da sua boca.
Você me toca...e eu viajo sem volta pra um caminho sem fim.
Teus dedos na minha pele...traçando, desenhando.
Teu gosto derretendo na minha língua.
Quero desenhar a nossa vida na tua pele...pêlos..arrepios.
Quero me perder e nunca mais me encontrar na tua vida, nas tuas veias.
Quero teus olhos de desejo, tua boca de cobiça, teu corpo de luxúria.
Em mim.
Pra mim.
Dentro de mim.
Quero sentir os poros da tua carne em incêndio.
Queimando, fervendo...em mim.
Quero molhar teu peito...saliva.
Quero molhar tua carne...escorrer.
Quero tuas curvas na minha boca...rastros de paixão.
Sinais de desejo escritos na tua alma, no teu corpo.
Chamas...
Quero teus gemidos no …

Tenho...

Preciso de alguém que ainda acredite no amor verdadeiro...
Alguém que se veja bobo, sorrindo sem motivos...e mesmo assim, ainda ache que é normal.

Preciso de alguém que quebre meu silêncio...
Que se perca na canção que não cessa de tocar no meu vazio.

Preciso de alguém que ainda acredite no amanhã...
Que sinta esperança e que abrace a vida sem medos infundados, sem questões complicadas.

Preciso de alguém que se perca nas minhas palavras confusas...
Que apenas coloque os pontos, as vírgulas...nos lugares exatos.
De mim.

Preciso de alguém que me diga que estou errada, mesmo quando eu estiver errada.
E que me olhe nos olhos quando eu fizer bico...e depois rir de tudo.

Preciso de alguém que aponte todos os meus defeitos, até os que não enxergo...
E que me compreenda até quando eu não me entender.

Preciso de alguém que admire o dia, o sol...mesmo quando eu estiver olhando a noite escura...
E que me diga baixinho : "amanhã é outro dia"!

Preciso de alguém que me faça sorrir, gargalhar da vida, da…

Entre os Livros...

Acordara com o toque dos seus dedos na carne úmida.
Não se lembrara como chegara até aquele ponto duro entre suas pernas, mas sentia a respiração ofegante e os dedos molhados.
Sentou-se na cama..e tentou se acalmar.
Seu corpo inteiro estava em chamas. Os bicos dos seios duros, convite irrecusável aos seus dedos.
Apertou-os.
Gemeu alto..e deixou que sua mente buscasse o sonho perdido.
Trouxe a imagem do homem que ela amava.
O doce garoto imperfeito. O homem másculo que a fazia perder os sentidos quando chegava perto dela.
Agora se lembrava de como tudo acontecera.
O via ali na velha escola, entre os livros e garotos absortos em sonhos.
Deixou que a imaginação a conduzisse...conduzissem seus dedos.
Diante dele, o fazia tremer.
A boca o procurava, sedenta da língua áspera e molhada.
O beijou demoradamente. A língua enfiada na sua boca, buscando a saliva e o barulho do aparelho.
Percorreu cada pedacinho da boca dele com a língua...absorveu, sugou...chupou.
As mãos dele percorriam seu corpo quase nu. Ape…

Escrevo..

Trouxe a saudade.
A rabisquei no papel em branco.
Incertos riscos, imperfeitos.
Fiz rima incoerente.
Desenhei um poema.
Escrevi sem nexo.
Rascunho indefinido.
Do que nem eu mesma sei.

Busquei a solidão.
Fiz monólogo incompleto.
Inexato espaço entre uma dor e outra.
Soletrei, poetizei.
O amor e a dor.
A ausência e a presença.
Solidão.
Do que eu senti dentro de mim.

Bordei letras perfeitas.
Adornei cada uma delas.
Fiz um livro, escrevi nossa história.
Sentimentos que vivi.
Sentimento que perdi.
Você.

Papel sem vida.
Cores fundamentadas na alma.
Cinza.
Letras, apenas letras.
Do que não sei, do que senti.
Do que vivemos.
Nós.
Pra sempre?
Diga sim.

Escrevi.
Com começo, meio...
Fim.
Enfim...

Escrevi pra ti...