Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2015

Pirata Ingrato...

Sinto sua falta. Sinto falta do seu riso encancarado, da tua gargalhada estridente. Sinto falta até das suas gírias e de como eu ficava brava quando você soltava um palavrão desconhecido na minha orelha. Quantas vezes você me dizia: Calma Angel, é só um palavrão. Mais um pra sua coleção de desconhecidos. E eu sorria. Sinto sua falta. Sinto falta da maneira que você sempre sabia que eu não estava bem. E do quanto você se assustava quando o celular tremia e era uma mensagem minha, perguntando: Pirata, que que foi? A gente nunca precisou estar perto pra saber o que o outro tinha. E talvez isso, seja o que mais sinto falta nessa noite escura e fria. Sei que hoje você ligaria e me abraçaria, sem perguntar, sem questionar...apenas estaria aqui. Sinto sua falta. Sinto falta do quanto você sempre cuidou de mim, do quanto me alertava sobre encrencas...e de como ficava bravo quando eu me diminuía demais. Sinto falta das suas broncas doloridas e do jeito que me dizia: "Angel, vai ficar tudo bem"..…

Uma canção...

"Eu desistiria da eternidade para te tocar... Pois eu sei que você me sente de alguma maneira. Você é a mais próxima do paraíso que sempre estarei... E eu não quero ir para casa agora. E tudo que posso sentir é esse momento. E tudo que posso respirar é a sua vida. E mais cedo ou mais tarde se acaba. E eu só não quero ficar sem você esta noite.
E eu não quero que o mundo me veja. Porque eu não acho que eles entenderiam. Quando tudo é feito pra ser quebrado. Eu só quero que você saiba quem sou eu. E você não pode lutar contra as lágrimas que não virão. Ou o momento de verdade em suas mentiras. Quando tudo se parece como nos filmes. É, você sangra apenas para saber que está viva. Eu desistiria de toda a eternidade. Só para viver tudo que já vivi com você. Ter tocado seu rosto, beijado seus lábios. Abraçado teu corpo inteiro. Eu desistiria de toda a eternidade... Só para ter estado contigo por um momento...
Como sempre estive em meus sonhos!!!
Ao som de:

Não há mais...

Na noite salpicada de estrelas..o fim. Sem desculpas pedidas, sem discursos formados. Apenas o fim. Trágico e sonoro. Frio e intenso. Morto e enterrado. Encheu a taça. Derramou. Molhou tudo em volta, sem perdão. Não pronuncie mais palavras vazias. Você já as falou demais. Repetidas letras jogadas na tela azul. Incolor. Não me peça para esquecer o que não pode mais ser esquecido. Dor. Tristeza... Vazio incessante que corta a alma em pequenos fragmentos de nada. Não tente dizer verdades hoje. Você não conseguiria. É imaturo demais para notar que me perdeu dia a dia.  Mentira a mentira...golpe a golpe. Nu, na carne exposta. Bateu com a navalha afiada. Retalhou. Retalhos. Não argumente. É em vão. Depois de tantas mentiras contadas, tudo que você disser, será usado contra você.. E é usado diariamente. Hoje? Não acredito mais, simples assim. Não me chame de dura, fria, maldosa. Nunca amei como te amo. Nunca sofri como sofro por ti. Nunca quis tanto ser a única de alguém... Que pra mim, sempre foi único. Não me invente amores.

Introspecto....

Eu...
Me invento.
Reinvento-me.
Sinto.
Vazio.
Repito.
Transbordo.

Eu...
Repito.
Palavras repetidas.
Gestos repetidos.
Atitudes...
Repetidas.

Eu...
Não mudo, não aprendo.
Dou aulas, sou aluna.
Vida insana.
Dias iguais.
Noites profundas e mal dormidas.

Eu...
Relógio parado no tempo.
Sem tempo.
Me transformo, saio do lugar.
Inércia acabada.
Futuro incerto.
Nula.

Eu...
Me divido, multiplico.
Me rendo, sozinha.
Faço da dor companheira.
Faço da lua, guia.
Do sol, poesia.
Confusa.

Eu...
Me olho, me vejo.
Me vejo, não me olho.
Me encaro.
Questiono.
Calada.
Gritante...

Eu....

Divagando...

E hoje ... Tudo que eu preciso... É do meu silêncio.
Só dói...

Catedral - O que não se pode explicar aos normais

Pitty - Equalize

Roberta Campos e Nando Reis - De Janeiro a Janeiro