Mesmo...

Que eu ainda veja teus olhos na multidão mesmo quando todos os outros forem desconhecidos.
Que eu ainda ouça a tua voz, somente a tua voz, quando o silêncio tomar tudo a nossa volta.
Que eu ainda sinta tua presença,mesmo quando a solidão fizer barulho no meio do nada, nosso nada.
Que eu ainda sinta o teu abraço, mesmo quando os corpos robotizados tomarem posse de tudo e de todos.
Que eu ainda sinta o teu cheiro doce,cheiro de limão com hortelã,mesmo quando a primavera encher de flores, cores, sabores..tudo ao nosso redor.
Que eu ainda sinta teu gosto na minha boca, mesmo quando o gosto amargo da realidade tiver me tirado dos teus braços, abraços.
Que eu ainda me perca no teu sorriso,nos teus lábios sorrindo meio de lado, quase não sorrindo,mesmo quando as lágrimas amargas da desilusão e da tristeza, tiverem dominado toda a minha alma.
Que eu sinta o calor do seu abraço,dos seus braços me protegendo da vida, mesmo quando o frio do inverno congelar tudo que foi sentindo e vivido, esquecido.
Que eu ainda possa adormecer no teu colo, nos teus ombros, mesmo quando o outono seco tiver feito todas as folhas caírem...um deserto cinza no meio de nós.
Que eu ainda encontre a paz no teu corpo, mesmo quando o calor intenso tiver feito rebuliço nos dias serenos, nossos dias serenos que nunca existiram.
Que eu ainda tenha fé, mesmo quando a desesperança tiver dominado nossos corações.
Dores, dissabores, tristezas.
Que tenhamos: 

Fé no amor que sinto, fé no amor que você sente.
Porque em meio a tantos "ainda"..uma só coisa é certa:

Meu amor por ti!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Dona...

Quero!

É Amor...