Pular para o conteúdo principal

Tempo...

A vida é um sopro.
Um sopro leve e voraz.
Um sopro, apenas um sopro.
Quem garante que você estará lendo este texto daqui dez minutos?
Quem pode assegurar que amanhã você irá reclamar quando o celular tocar desesperadamente as 5 e 10 da manhã?
Ou que aquela caminhada planejada e esperada de hoje a tarde, acontecerá?
Não podemos!
Quem pode me assegurar que eu ou você teremos tempo de enviar um oi a alguém que sentimos falta?
Ou que você conseguirá visitar aquela prima que está esquecida há tanto tempo?
Não somos donos de nós mesmos, não temos nossas vidas nas mãos.
Somos donos sim, mas de momentos que nos são ofertados.
Sempre preguei o "começo, meio e fim".
E isso valendo para os dias. Um a um.
Começo. Meio. Fim.
Ré assumida: sou humana(mesmo não parecendo).
Erro pra Cacilda(vamos no maiúsculo mesmo)
Deixo minhas pendências penduradas no meu varalzinho particular todas as noites, quando "tenho tempo".
As vezes, estou tão cansada, que não consigo coordenar minhas falhas e tentativas de acerto para o dia seguinte.
Por isso, sempre tento encerrar meus dias mais cedo. 
A vida é um sopro.
Talvez não tenhamos o amanhã e nem o depois.
Então, é hora de parar com isso de sentir medo de dizer o que se pensa. De falar de sentimentos, de dar abraços e beijos e dizer as pessoas o quanto elas nos são especiais.
Brigou hoje? Tentar consertar hoje.
Amou hoje? Tentar sentir hoje.
Ficou magoada(o) com algo? Tentar descrever...hoje!
Não somos donos do nosso tempo, aliás, não temos tempo.
Nascemos não programados, mas aprendemos desde pequenos a nos robotizar diante de tudo.
Cansamos de ler mensagens bobas hoje em dia:"fulano demorou para responder, vou demorar dez vezes mais".
Ciclano não me deu bom dia hoje, amanhã também passarei por ele e virarei até o rosto".
Ah, tomar no rabo com vontade!
Vamos seguir nossos corações sim, deixar a razão comandar, sim!
Vamos ser nós mesmos, independente do que pensem ou não pensem.
Fingir, mentir, omitir??
Não estamos nós, velhinhos demais para isso??
Chega de nos colocarmos como donos de alguma coisa.
Não somos donos nem de nós mesmos, mas precisamos e devemos sim, a todo momento, ser donos de nossos sentimentos, vontades, palavras e letras!
Não deixemos nada para amanhã.
Não façamos nenhum plano para depois.
Clichê?
Foda-se!

A vida é um sopro!!!!

"Todos os dias quando acordo
Não tenho mais o tempo que passou
Mas tenho muito tempo
Temos todo tempo do mundo.

Todos os dias
Antes de dormir
Lembro e esqueço como foi o dia
Sempre em frente
Não temos tempo a perder..."

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Já é hora de descansar...

Não havia música de fundo. Só o silêncio imperava nela, por ela. A dor havia ido embora. Sem medos, sem esperança. Sem futuro. No alto da vida, via o mundo. Mundo que só ela via. Cruel, cru, mentira. Absurdamente, solitária. Vazia. Não havia mais dor. Já não era mais indesejada. Mal amada. Já não seria mais preciso desejar seu fim. Havia nascido. Haveria de morrer. Solitária alma no alto do prédio. Prédio sem vida, dentro do peito. Renegada alma. Sem existir. Olhos fechados que já não mais viam. Pedidos nunca atendidos. Socorro! Socorro!
Não peço mais! Ninguém a ouvia. Já não pulsava mais a vida nas veias. Não havia mais sangue na morte que a rondava. Sozinha. Vazia. Não sentia. Não esperava. Não chamava. Não sonhava. Não havia mais música de fundo. Nenhum pássaro cantava lá longe. Nenhuma criança brincava no parque. Ninguém mais se abraçava. Nenhum toque mais...
Aconteceria!

Na vida que se esvaia. No grito que não saía. Na dança que não mais... Aconteceria.
Ela havia vencido. Doce, saborosa, tenra. Adocicado sentir na ponta da l…

Vazios...

Adeus. Te procurei pela casa inteira. Em cada móvel empoeirado. Em cada canto esquecido. Em cada quina descascada. Te procurei. Pedaço a pedaço. Passo a passo. Teu cheiro espalhado. Guarda-roupas vazio. Gavetas bagunçadas. Na peça de roupa esquecida no fundo do armário. Fragmento do teu existir. Absorvi. Inebriei. Desabei. Meus dedos gelados tateando a imensidão do vazio que restou. O eco da tua voz. O som da tua gargalhada muda se espalhando pelo ar. O silêncio gritando em cada cômodo. O som dos teus passos. Teus tênis sujos. Teu chinelo esquecido debaixo da cama. Olhos vagos te procurando. Certeza dolorida. Vazio. A música tocando sem acorde nenhum. Tua escova de dentes jogada no chão do banheiro. Pedacinhos de nós espalhados na imensidão do passado. Teus óculos jogados na estante repleta de porta-retratos. Nossa vida dispersa no vento. Tempo... Nossa história de final marcado. O fim na taça de vinho quebrada em cima da mesa. Resquícios de mais uma tentativa em vão. Meus joelhos dobrados. Meus pedidos. Minha súplica. Ol…

Só Em Você...

Encontrei em você o amor que nunca procurei. O amor de um segundo só, de um minuto apenas, de horas não contadas, de dias vividos, de anos...apaixonados. Um amor atemporal, incondicional. Encontrei em você o maior amor que não imaginei sentir. Um amor pra vida toda, além dessa vida que nos encontramos. Destinos já traçados, vidas enlaçadas. Almas divididas. Um amor! Encontrei nos teus olhos a esperança de um mundo melhor. Na tua tristeza, o cuidado que sempre vou lhe ter. Encontrei nos teus medos, todos os meus sonhos não vividos... Ainda! Encontrei nos teus braços, refúgio para minha ex solidão. Encontrei no teu abraço, remédio para minha sensatez. Encontrei em você, o amor. Sem definição, sem explicação. Sem dor. Encontrei nos seus lábios, um mundo inteiro de felicidade. De borboletas em festa no meu estômago. Sentimentos desconhecidos. Suspiros nunca dados.
Necessidade, desejo... Encontrei na tua inocência a minha busca por maturidade. No teu rosto de garoto, cura para minhas rugas.
Cansaço. Encontrei no t…